Menu fechado

Trem Bate Contra Caminhão Em Linha Férrea De Hortolândia-SP

Um trem bateu contra um caminhão no cruzamento da linha férrea que passa por Hortolândia na manhã desta sexta-feira (8). De acordo com a Polícia Militar, a colisão foi na Vila Real. Testemunhas disseram que o caminhão, de Leme, carregado de açúcar não conseguiu cruzar a linha a tempo. Ainda segundo relatos de pessoas que presenciaram o acidente, o maquinista emite sinal sonoro de alerta antes de chegar no cruzamento. Um dos ocupantes  do caminhão ficou ferido na cabeça, foi levado para o hospital e liberado. “Não vimos o trem, o motorista tentou frear, mas estava molhado”, disse José Santos Melo, que só deixou o caminhão após a parada da composição. Dos três que estavam na cabine do veículo, um conseguiu saltar antes da colisão, mas dois ficaram porque estavam com cinto de segurança.  Esta é a terceira colisão na linha férrea na cidade em menos de um mês.

“Aparentemente, o caminhão estava errado”, disse o cabo da Polícia Militar Geraldo Marques Figueiredo. “É o segundo acidente que atendo aqui em menos de um mês”, ressaltou o policial. Ele também confirmou que parte da carga de açúcar foi saqueada por populares.

Trem colide contra caminhão em Hortolândia

Outros casos

Uma pessoa ficou ferida após um acidente no cruzamento de uma linha férrea em Hortolândia na manhã do dia 26 de maio. Segundo a Guarda Municipal, um carro com cinco pessoas foi arrastado por cerca de 50 metros após a colisão com um trem. Foi o segundo acidente no local, que não possui cancela, em dois dias. O condutor disse a Guarda que tinha terminado há pouco tempo o Curso de Formação de Condutores (CFC) e aguardava a chegada da carta provisória, que iria buscar três dias após o acidente.

No dia 24, um carro foi arrastado por 150 metros após o chocar-se com um trem. O maquinista disse a Polícia Militar que um veículo modelo Corsa estava parado no meio da linha férrea e não deu tempo de parar, pois levava uma carga de 80 mil toneladas. O motorista sofreu apenas um arranhão no braço e falou que não ouviu a buzina da locomotiva.

Sem cancela

No cruzamento onde ocorreram os dois acidentes não há cancela para impedir a passagem de carros. São placas que sinalizam a passagem dos trens, com som e iluminação. Em nota enviada pela All após os acidentes, a concessionária informou que as cancelas, além de não serem itens obrigatórios de segurança, sofrem ação constante de vândalos, que inviabilizam sua utilização e comprometem sua confiabilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *